Guia - Como adquirir conciência políticaPosso dizer que a visão mais simplista que conheço referente à política é aquela frase manjada de que “Político é tudo ladrão, como se vai votar direito sem nenhuma opção de político honesto”. Ora, essa é a desculpa mais deslavada pra votar sem consciência que já ouvi. É muito mais fácil dizer que são todos ladrões do que ir atrás e separar o joio do trigo não é mesmo?

Lamentavelmente, somos um povo alheio a tudo o que ocorre na política do país. Ao invés de participarmos ativamente, apenas resmungamos e queixamo-nos dos “políticos corruptos”. No entanto, a culpa de tudo estar como está é nossa.

Voto com consciência

Andando pela internet encontrei em um site, que prefiro não identificar, a seguinte frase:

“… a grande maioria nem lembra em quem votou, afinal votamos por obrigação perdendo um domingo quase inteiro.”

    Sei que muitos pensam assim, mas deveríamos ter vergonha destes nossos pensamentos. A começar por encarar o dia da votação como um dia perdido. Este é um dia muito importante para a democracia em que vivemos e definirá o rumo do país por um período significativo. Depois, dizer que nem lembramos em quem votamos, ora, se nem sequer lembramos em quem votamos de que forma cobraremos o que nos foi prometido.

Fora isso, somos muito mal-acostumados a receber tudo de mão beijada. Neste sentido concordo com o autor do blog Visão Panorâmica. Não podemos nos contentar com esmolas (bolsa-sei-lá-o-que). Temos que começar a pensar no futuro do país como um todo. Vai ser difícil encontrar um governante que queira investir em educação, porque esta, apesar de ser a medida mais viável e que ajudaria no desenvolvimento da população e conseqüentemente do país, tem retorno a longo prazo, por isso não geraria ao governante argumentos eleitoreiros suficientes.

Em nosso país o que elege ou reelege um candidato são os benefícios a curtíssimo prazo, seja um saco de cimento, uma caçamba de areia ou uma bolsa-família.

O que eu devo fazer diante das eleições?

O primeiro passo é se informar sobre tudo que ocorre no país. Procure saber as reais intenções atrás de qualquer ato político, seja este a criação de uma nova bolsa-qualquer-coisa, seja a aprovação de uma nova lei. Fique a par do que as pessoas estão pensando sobre isso. Identifique se aquilo está sendo feito para beneficiar o povo ou para beneficiar o candidato numa possível reeleição.

Não seja egoísta. Se você não quer votar direito por você mesmo, vote direito pelos que não têm emprego digno, que não têm acesso à saúde digna, que não têm acesso à educação e, muitas vezes, nem o que comer.

Tenha em mente que os auxílios-qualquer-coisa na maioria das vezes não são uma boa medida. Uma boa medida seria o cidadão ter oportunidades suficientes para ter este auxilio através de seu trabalho, recebendo um salário digno todos os meses, o qual não necessitaria da esmola de nenhum governante.

Antes de decidir o seu voto, localize o perfil do seu candidato no Portal Transparência Brasil. Analise se ele realmente merece o seu voto. Ao votar em branco, anular ou votar em qualquer um você tira as chances do candidato sério e com boas propostas para o país se eleger.

Não se baseie na propaganda eleitoral para escolher seu candidato. Lá você verá apenas quem fala melhor frente à televisão.

O melhor modo de conhecer um candidato é investigando seu passado. O que ele foi é reflexo do que ele é. Desconfie se o candidato vier com discursos do tipo “o passado não importa, o importante é o hoje e o amanhã”, querendo se desvincular do passado.

Diga-me com quem andas que te direi quem és. Isso mesmo, analise bem quem são seus aliados políticos. Depois de eleito, seu candidato não fará nada contrário a estes, uma vez que ajudaram-no a se eleger. Por isso preste muita atenção a quem seu candidato está coligado.

Não se contente com promessas vazias. Quando um candidato prometer acabar com a fome, ação complexa, pergunte como. Apenas dizer que vai acabar com a fome sem nem ao menos saber como o fará, não é algo que mereça o seu voto.

Estes são os primeiros passos para um voto consciente. O importante é entender o que você está fazendo, sem agir com leviandade nessa hora. Diante de qualquer ato estranho investigue, questione, debata. Só assim temos chance de mudar alguma coisa no país, nos tornando conscientes da força que temos.

Política no Brasil


Mallmann

Filipe Pereira Mallmann Apaixonado pelo direito e aficionado por novas tecnologias. Para ler mais artigos de Mallmann, . Redes Sociais: Google + · Facebook · Twitter

3 comentários

Katielly Barbosa Velasque · 5 de maio de 2009 às 3:17 PM

Nós devemos colocar a boca no trombone quando falamos de consciência política, porque nós não devemos ficar calados sobre isso…
É isso…
Muito obrigada.
bjus pra todos.

Junior Sousa · 30 de agosto de 2011 às 12:33 PM

Muito bom a matéria sobre conciência Politica, é isso que o Brasil precisa ..de conciência, ou seja saber votar, saber cobrar, saber o que os politicos estão fazendo..e participar prenamente de todo o processo politico.
Os homens que estão no poder, estão lá porque o povo os colocou la, então temos uma resposabilidade muito grande sobre isso. O futuro realmene esta em nossas mãos.

silvia caetano · 25 de setembro de 2011 às 4:45 PM

Realmente o brasileiro está muito acomodado, e não tem nenhuma Consciência Política mesmo. Esta matéria veio de encontro com a verdadeira necessidade do cidadão e assim se conscientizando e ganhando não só o dia mas também sua dignidade.
VALEU!!!

ABRAÇOS A TODOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *